Últimos AcontecimentosO que acontece em Itajubá e região !

Roberto Carlos já foi chamado de ´debiloide´ e sua obra de ´pulável´

12 Abr 2021
Cantor e compositor lançou em 1966 "Roberto Carlos" e, entre as faixas, estava "Querem acabar comigo"
(foto: Oswaldo Amorim/O Cruzeiro/EM/D.A Press %u2013 1966).

"Querem acabar comigo", livro de Tito Guedes e homônimo à música de RC, trata a obra do maior ídolo da MPB por meio de críticas sobre seus discos na imprensa.


Em dezembro de 1993, Roberto Carlos lançou seu álbum de número 33. As rádios da época logo destacaram “Coisa bonita” (Roberto e Erasmo), em que o Rei cantava para as gordinhas. Mas foi outra canção que fez história, mantendo-se até hoje em seu repertório: “Nossa Senhora” (também com Erasmo Carlos). De relevante entre as nove faixas também estava a regravação de “Se você pensa” (mais uma da lavra com o parceiro eterno), regravação do álbum “O inimitável” (1968).

A crítica não quis saber. “Trabalho muito duro de aturar”, escreveu Antônio Carlos Miguel; “pulável” e “monótono”, descreveu Carlos Albuquerque; “tudo soa repetitivo”, resumiu Mauro Ferreira. O que chama a atenção não é o aspecto negativo da análise, algo que acompanha Roberto desde o início da carreira. Mas sim que os três textos que, exceto um detalhe ou outro, diziam a mesma coisa, dividiram a mesma página, uma capa do caderno de cultura do jornal “O Globo”.

Em 1966, lançou “Roberto Carlos”, primeiro dos discos que, a partir de então, passaram a ter somente seu nome no título. No repertório estava “Querem acabar comigo”, composição que assina sozinho (naquele momento havia tido cisma com Erasmo). É esse também o título de um livro que trata, sob um viés inédito, a obra do Rei.
“Querem acabar comigo – Da Jovem Guarda ao trono, a trajetória de Roberto Carlos na visão da crítica musical” (Máquina de Livros), de Tito Guedes, acompanha seis décadas da produção do maior ídolo da música brasileira por meio do que foi escrito sobre seus discos na imprensa. Desdobramento do trabalho de conclusão da graduação de estudos de mídia, pela Universidade Federal Fluminense (UFF), a obra separa por décadas a análise sobre a música de Roberto.

Guedes, que concentrou sua pesquisa na imprensa carioca e paulista, trabalhou a partir de uma centena de textos. “A crítica musical sempre abraçou Caetano, Chico, Tom Jobim, ainda que tenha criticado um ou outro álbum. Para artistas considerados cafonas, os críticos nem se davam ao luxo. O Roberto ficava no meio disso”, comenta.

Nunca pegaram leve com o Rei, mesmo que atualmente, sob a perspectiva temporal, muito da sua obra da fase inicial tenha sido reavaliada. Um dos primeiros textos de destaque na imprensa foi de Sérgio Augusto, referência no jornalismo cultural. Em 1965, quando atuava no “Jornal do Brasil”, o escritor e jornalista chamou Roberto, então ídolo da Jovem Guarda, de “debiloide”.


Fonte: https://www.em.com.br/app/noticia/cultura/2021/04/12/interna_cultura,1255952/roberto-carlos-ja-foi-chamado-de-debiloide-e-sua-obra-de-pulavel.shtml?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=escolha_editor_20210412&utm_content=pos6&utm_term=noticia-cultura&utm_email=80c3bbd8aac1f93f529329fbbc9c0a54

Fla empilha mais uma taça e atinge média de uma a cada 2,8 meses desde 2019.

11 Abr 2021
Jogadores do Flamengo levantam a taça da Supercopa do Brasil após baterem o Palmeiras
Imagem: Lucas Figueiredo/CBF
Fonte: UOL ESPORTE


Colocar faixa de campeão no peito virou uma doce rotina no Flamengo, que empilha taças em cima de taças desde o início de 2019, quando o atual presidente Rodolfo Landim iniciou a sua gestão. Com o bicampeonato da Supercopa, o Fla deu a sua décima volta olímpica neste período, isso se consideradas também as conquistas das Taças Rio de 2019 e da Guanabara em 2020. As conquistas dão ao clube a média de um troféu erguido a cada 2,8 meses.

Esta era de alegrias para os rubro-negros inclui ainda uma Libertadores, dois Brasileiros, duas Supercopas, dois Cariocas e uma Recopa. Motivos de sobra para a festa de jogadores e torcedores. "Ser campeão é muito bom. Ser campeão pelo Flamengo é melhor ainda. Sou um cara de muita sorte. Aqui, no Flamengo, sabemos que não tem nada fácil, foi uma disputa muito acirrada, com os melhores goleiros do Brasil junto com o Cássio [do Corinthians]. Os protagonistas foram eles [goleiros]. Estamos muito felizes de termos o Diego Alves aqui. Somos muito ambiciosos, queremos mais títulos, mas este título é muito bom. Valorizamos muito. Só os campeões estão aqui, então, queremos estar de novo.
Esse grupo não tem como colocar limites", declarou o lateral Filipe Luís ao Sportv.

A mais recente conquista veio após um jogo frenético contra o Palmeiras, o tempo normal terminou empatado em 2 a 2 e, na disputa de pênaltis, Diego Alves acabou brilhando, pegando três cobranças. "Mas mais do que os pênaltis era o significado pra gente. Para mim em especial, porque passei por um momento conturbado. Isso vai para as pessoas que quiseram minha permanência. Era um desejo meu ficar no Flamengo, muita gente fez muito esforço para eu continuar. Fico feliz de retribuir isso com esse título que esse grupo merece", declarou o goleiro.

Após cumprir seu primeiro grande objetivo na temporada, o Rubro-Negro volta as suas atenções para o tricampeonato do Estadual. De alto astral, o Fla encara na quarta (14) o arquirrival Vasco, às 21h, no Maracanã, de olho em um triunfo no clássico e mais razões para a torcida seguir sorrindo.

Institulo Sul Mineiro de Reabilitação - Programa de Reabilitação Pós Covid

09 Abr 2021
A Covid 19, doença causada pelo novo Coronavírus vem causando a morte de milhões de pessoas em todo mundo. A grande maioria, felizmente, se recupera, mas muitos apresentam diversas sequelas passada a fase de internação eou quarentena domiciliar. O mais importante para garantir uma boa recuperação e minimizar as sequelas são os cuidados pós covid.
Uma pesquisa publicada no Journal of the American Medical Association (JAMA) mostrou que, mesmo após meses da cura da Covid-19, 87% disseram ter um ou mais sintomas da doença, como cansaço e problemas respiratórios. Entre as 143 pessoas que participaram do estudo, apenas 12,6% haviam sido internadas em uma UTI. Além de atingir o pulmão, outros órgãos também podem ser afetados, como coração, rins, intestino, sistema vascular, músculos e até mesmo o cérebro.
Lidar com as sequelas da Covid é um desafio para os profissionais da saúde em todo mundo, visto que essas sequelas podem ser muito diferentes de uma pessoa para outra. Dessa forma o tratamento pós contaminação deve ser totalmente individualizado.
Com o objetivo de reabilitar os pacientes curados da COVID, o Instituto Sul Mineiro elaborou, após meses de estudos e aperfeiçoamentos, um Programa de Reabilitação pós COVID. Reunimos uma equipe multidisciplinar composta por Fisioterapeutas, Educadores Físicos, Nutricionistas, Psicólogos, Dentistas e Médicos.
O principal objetivo desse programa é recuperar a independência funcional e qualidade de vida de quem se recuperou da doença mas apresenta alguma sequela física eou psicológica.
Baseado nas mais recentes publicações da ciência o Programa de Reabilitação é bem complexo e totalmente individualizado, onde o paciente é avaliado de forma detalhada e após identificado quais as necessidades de cada, um completo programa de intervenções é elaborado visando restabelecer todas as capacidades físicas funcionais e psicológicas afetadas pela COVID.

Morre locutor das chamadas de programação da Globo e da Record.

08 Abr 2021
Locutor Nilson Ribeiro trabalhou na Rede Globo e morreu ontem, vítima de parada cardíaca.

Do UOL, em São Paulo 08/04/2021

Morreu ontem o locutor Nilson Ribeiro, aos 56 anos de idade, vítima de uma parada cardíaca. Nilson era conhecido nas rádios de Goiânia e foi o primeiro locutor a anunciar a dupla Zezé Di Camargo e Luciano em uma rádio, quando trabalhava na emissora Terra FM.

A rádio foi retratada no filme "Dois Filhos de Francisco" na cena em que Francisco liga de um orelhão para a rádio, pedindo a música "É o Amor". No filme, o pai da dupla dava fichas para amigos e vizinhos ligarem pedindo a canção em 1991. Nilson ainda fez contribuições para a Rede Globo, virando voz de chamadas esportivas e da programação da emissora. Ele também teve passagens pela Record TV, virando o locutor das chamadas.

Nilson trabalhava na rádio Terra FM e fez a série animada "Turma do Sextou", disponível na Amazon Prime.