Últimos AcontecimentosO que acontece em Itajubá e região !

Deputado Dimas Fabiano ressalta importância da lei que facilita o acesso de pequenos criadores de animais ao milho comercializado pela Conab

24 Jan 2022
por Redação Panorama

Em janeiro, foi sancionada a Lei que cria o Programa de Venda em Balcão (ProVB) da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para promover o acesso dos pequenos criadores de animais ao estoque público de milho. A medida foi aprovada pela Câmara em dezembro de 2021, e contou com o voto favorável do deputado federal Dimas Fabiano (PP-MG).

A finalidade do programa é diminuir a desigualdade entre os pequenos e grandes produtores, já que hoje o grande criador de animais, que tem alto poder de compra, adquire maior volume de milho e se beneficia de menores preços, enquanto o pequeno criador, por demandar volume menor de milho, paga preços bem mais altos.

Programa de Vendas em Balcão

O Programa de Vendas em Balcão (ProVB) tem como objetivo viabilizar o acesso de criadores rurais de pequeno porte aos estoques de produtos agrícolas sob gestão da Conab, por meio de vendas diretas, a preços compatíveis com os praticados em pregões públicos ou com os dos mercados atacadistas locais.

Serão beneficiados com o programa os pequenos criadores de animais, inclusive os aquicultores, que tenham a Declaração de Aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (DAP-Pronaf) ativa, ou outro documento que possa substituí-la. O volume permitido para a compra por produtor é avaliado de acordo com o tamanho do plantel, não podendo superar o limite máximo de 27 toneladas mensais.

De acordo com o deputado Dimas Fabiano, a lei permitirá que os pequenos criadores tenham igualdade de oportunidade, gerando mais renda e emprego para os produtores mineiros, principalmente para os que têm sofrido com as consequências da pandemia da Covid-19.

EDU BOGOSIAN INVESTE EM SUA PRÓPRIA MARCA

22 Jan 2022
14 jan 2022 • por Nina Kauffmann

Uma infância no meio de agulhas, croquis, tecido e criação. Tudo respirava moda, na família de Edu Bogosian. Empresário paulista, que mudou para o interior de Minas Gerais, para investir no mundo da moda.

Com uma confecção localizada em Pedralva – MG, Edu fabrica uniformes profissionais, roupas de futebol, roupas masculinas em geral, e uma grande variedade de produtos.

Há 10 anos lançou sua própria marca, a Edu Bogosian. “Sempre quis lançar produtos com o meu DNA, e com um corte e caimentos impecáveis. Chega uma hora, que só produzir para outras marcas, não é mais motivador. Queria ter a minha própria coleção”, declara o empresário.

No início eram só polos, com uma grande variedade de cores. Depois houve a necessidade de expandir a linha de produtos, e hoje a marca vende sapato, camisa social, blusa de malha, calça, bermuda, boné etc. Edu, já trabalhou com desenvolvimento de produtos e facção para o mercado de luxo na moda feminina, atendendo marcas como Daslu, Le lis Blanc, NK, etc.

Hoje a confecção ocupa uma área de 2 mil metros quadrados e emprega mais de 50 funcionários.

“Conseguimos atender os dois seguimentos, produzindo tanto para os clientes de facção, como toda nossa própria linha de produtos”, destaca Bogosian.

Para 2022, a meta é expandir o atendimento para outros estados, e crescer em 25% o número vendas, principalmente online. “Vamos investir também na linha sport wear, onde produzimos roupa para todas as modalidades esportivas, desde o futebol até o ciclismo”, afirma Edu.

Centro de Empreendedorismo UNIFEI ganha Prêmio Vortex 2021 em quatro categorias

21 Jan 2022
Em dezembro de 2021, o Centro de Empreendedorismo UNIFEI (CEU) recebeu quatro estatuetas nas categorias Liga Inovadora, Liga Conectada, Startup Ex-Membro Influencer & Inspiração (NexAtlas) e Professora de Empreendedorismo (Juliana Caminha Noronha - IEPG) durante o Prêmio Vortex 2021. Além desses prêmios, o CEU foi finalista em 10 outras categorias na premiação.



Esta é a primeira edição da premiação nacional do ecossistema empreendedor universitário. Através de 22 categorias diferentes, seu objetivo é conectar pessoas de todas as regiões do Brasil e trazer mais visibilidade para as ligas de empreendedorismo, startups, empreendedores, professores e trabalhos de conclusão de curso.

O edital do prêmio foi disponibilizado no link bit.ly/edital-premio-2021 e as inscrições foram realizadas até 3 de dezembro passado pelo site www.vortexuniversitario.com.br/premio-vortex/. Realizada de modo remoto, a premiação foi conduzida por Fernando Guerreiro, Gabriel Carvalho e Larissa Vendramini e transmitida ao vivo no dia 16 de dezembro, às 18 horas.



Para mais informações sobre o Prêmio Vortex, acesse a página do YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=iBQA1aTxTuc



Prêmios para o CEU

Durante a premiação na categoria Liga Inovadora, os alunos da UNIFEI Arthur Calhau e Samuel Lima se manifestaram. “É muito legal a gente estar recebendo esse prêmio. O CEU impacta mais de 25% dos alunos da Universidade, sendo em média 2 mil estudantes por ano que interagem nos eventos promovidos. Nós acreditamos que todos os que estão à frente de algum projeto, que idealizaram e estão tocando uma atividade são empreendedores e que são as ações disruptivas que vão acabar mudando a forma como a gente enxerga o mundo”, disse Arthur.

Em sua fala, Samuel disse que empreendedor não é somente aquele que vai criar uma grande startup, mas quem consegue inovar no seu dia a dia, com as pessoas com quem interage. Durante a premiação na categoria Liga Conectada, na qual o CEU também foi premiado, o estudante disse que o prêmio “mostra que estamos conectados, ganhando na votação técnica e na votação popular”.

Na categoria Startup Ex-Membro Influencer & Inspiração, o prêmio foi para a NexAtlas, representada por Ana Raquel Calhau, que agradeceu a premiação recebida e falou um pouco sobre a plataforma de planejamento de voos e navegação aérea off-line, que torna o trabalho de pilotos da aviação geral cada vez mais prático e seguro.

Na categoria Professora de Empreendedorismo, Juliana Caminha Noronha, docente do Instituto de Engenharia de Produção e Gestão (IEPG) da UNIFEI, foi a escolhida. No momento da premiação, ela estava em aula e foi representada pelo aluno Arthur Calhau. Ele disse que a professora Juliana realmente inspira todos os alunos da Universidade que atuam no CEU, do qual ela é uma das fundadoras.

O estudante também lembrou que a docente se destaca pela mentoria a diversas ligas de empreendedorismo e outras iniciativas, como o projeto Vivência Universitária em Empreendedorismo e Inovação (VUEI), uma iniciativa da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (SEDE).

Em mensagem enviada por meio do aluno, Juliana destacou a importância da integração entre professores, alunos e administração central da Universidade, que é um dos “temperos secretos” do CEU e o que faz com que suas ações sempre deem certo. Segundo ela, a UNIFEI tem uma educação empreendedora transversal, muito diferente dos modelos que são aplicados normalmente, já que proporciona aos alunos desenvolverem seus projetos com liberdade e criatividade.



Vortex

A missão do Vortex Universitário, rede nacional de ligas de empreendedorismo, é conectar e empoderar futuros empreendedores, inspirando mudanças. O impacto acontece através de ligas, centros ou núcleos de empreendedorismo universitário, que são associações estudantis sem fins lucrativos para fomentar a comunidade empreendedora local, através de programas de aceleração de ideias, mentorias para startups e eventos realizados por jovens empreendedores das mais diversas universidades brasileiras.

A rede é uma organização sem fins lucrativos, cujos projetos recebem investimentos de empresas mantenedoras, possibilitando, assim, que jovens empreendedores tenham contato com materiais inovadores e possam levar a inovação para toda a sociedade.

O Vortex acredita no potencial de uma rede colaborativa com seu ecossistema, para fazer um país mais inovador, empreendedor e desenvolvido. Relacionamentos de longo prazo com empresas parceiras permitem à rede manter-se sustentada por recursos financeiros e experienciais, perpetuando a colaboração entre atores do ecossistema empreendedor.

A rede realiza vários projetos, como o de Aceleração de Ligas e o Interligas. O primeiro tem como objetivo desenvolver pessoas e organizações, conectar com grandes nomes do mercado e inspirar jovens empreendedores. Já o segundo é uma iniciativa que une ligas financeiras e de empreendedorismo dos estados de Ceará, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, com o objetivo de que elas aprendam umas com as outras e fomentem os ecossistemas de ligas universitárias.

Outras informações sobre o Vortex Universitário podem ser obtidas também em: https://vortexuniversitario.com.br/



Centro de Empreendedorismo UNIFEI

Inaugurado em 2013 e sediado no IEPG, o Centro de Empreendedorismo da UNIFEI (CEU) é uma organização que integra diversos parceiros e programas de desenvolvimento em empreendedorismo (PDEs), visando promover comportamento, ação e gestão empreendedores e gerar desenvolvimento local por meio da educação empreendedora e competitividade das organizações.

A proposta do CEU é simples e pode ser resumida na frase do professor Fábio Roberto Fowler, do IEPG: “Empreendedor é aquele que cria e gerencia projetos”. Mobilizado por esse pensamento, o CEU realiza diversas ações que permitem aos alunos da UNIFEI pensarem em empreendedorismo e realizarem, de fato, projetos criativos, que podem ser desde uma iniciativa social até a criação de um protótipo de hardware com alto impacto na sociedade.

Para isso, o CEU conta com um espaço de coworking com oito estações de trabalho, duas salas de reuniões, um laboratório de empreendedorismo e dois laboratórios de informática, além de área de pebolim e minibiblioteca criativa, dedicados aos empreendedores e startups da Universidade.

Os principais projetos desenvolvidos pelo CEU são:

- CRIA: laboratório de ideação da UNIFEI, com o objetivo de proporcionar uma experiência empreendedora para quem quer dar os primeiros passos em torno de uma ideia de negócio, assim como uma oportunidade de formação de comunidade empreendedora, permitindo aos participantes o contato próximo com empreendedores e ideias-chave do universo do empreendedorismo.

- Formação Complementar em Empreendedorismo (Minor in Entrepreneurship): complementação da formação dos engenheiros e cientistas graduados pela Universidade por meio de disciplinas orientadas a projetos que desenvolvam comportamentos importantes para qualquer profissional.

- LAB001 – Pré-Aceleração em Hardware e Hard Sciences: programa desenvolvido com o objetivo de pré-acelerar startups de alto impacto em estágio inicial e transformar a Universidade em um laboratório de ideias disruptivas aliadas a tecnologias exponenciais para impactar a sociedade.

O CEU desenvolve ainda os projetos Bota Pra Fazer UNIFEI, Ciência de Boteco, Fuckup Night, Maker Club, Maker Hacklab, Ninja Startup Job, Pint of Science, Startup Bus, Startup Talks, Startup Weekend UNIFEI, Startup Weekend Maker UNIFEI e TEDx, além de promover o Prêmio Melhores Práticas Empreendedoras e o Programa Mais Educação Empreendedora.

Para mais informações sobre o CEU, acesse: https://unifei.edu.br/extensao/empreendedorismo-e-inovacao/centro-de-empreendedorismo-unifei-ceu/

Elza Soares, um dos maiores ícones da música brasileira, cantou até o fim

20 Jan 2022
Aos 91 anos, cantora lançou álbum em 2019, fazia shows até o começo da pandemia e continuou fazendo música em lives. Ela morreu nesta quinta-feira (20) de causas naturais.
Por g1 - 20/01/2022-Alexandre Durão/G1


Elza Soares é considerada uma das maiores cantoras da música brasileira, com carreira no samba que começou no final dos anos 50. Ela morreu aos 91 nesta quinta-feira (20), de causas naturais, no Rio de Janeiro.

Nascida Elza Gomes da Conceição no Rio de Janeiro em 1930, lançou 34 discos ao longo da vida e nunca deixou de criar. Tanto que estava produzindo um novo disco e gravou um DVD no Theatro Municipal, em São Paulo, segunda (17) e terça-feira (18).

- A amada e eterna Elza descansou, mas estará para sempre na história da música e em nossos corações e dos milhares fãs por todo mundo. Feita a vontade de Elza Soares, ela cantou até o fim, afirma o comunicado enviado por sua assessoria.

Filha de uma lavadeira e de um operário, ela foi criada na favela de Água Santa, subúrbio de Engenho de Dentro. Elza cantava, desde criança, com a voz rouca e o ritmo sincopado dos sambistas de morro.

Casou-se obrigada aos 12 anos, virou mãe aos 13 e viúva aos 21. Foi lavadeira e operária numa fábrica de sabão. Por volta dos 20 anos fez seu primeiro teste como cantora, na academia do professor Joaquim Negli. Foi contratada para a Orquestra de Bailes Garan e seguiu no Teatro João Caetano.

Ela começou a se destacar na música como parte da cena do sambalanço com Se Acaso Você Chegasse, em 1959.

Durante a carreira, ela se aproximou do samba, do jazz, da música eletrônica, do hip hop, do funk e dizia que a mistura é proposital. O último disco lançado foi ´Planeta Fome´ em 2019.

Eu sempre quis fazer coisa diferente, não suporto rótulo, não sou refrigerante, disse Elza ao g1, em entrevista de 2020. Eu acompanho o tempo, eu não estou quadrada, não tem essa de ficar paradinha aqui não. O negócio é caminhar. Eu caminho sempre junto com o tempo.

A morte da cantora acontece no mesmo dia da de Garrincha, com quem teve um relacionamento por 17 anos. O craque do Botafogo, e bicampeão do mundo pela Seleção Brasileira, também morreu no dia 20 de janeiro, mas quase 40 anos antes: em 1983.

O casal teve um filho em 9 de julho de 1976: Manoel Francisco dos Santos Júnior, o Garrinchinha. Aos 9 anos, a criança morreu em um acidente de carro.